Aquecendo a economia

Dia dos Namorados: lojistas esperam alta de 5% nas vendas na comemoração da data

Pesquisa mostra que consumidores planejam desembolsar até R$ 100 para presentear os companheiros

Dia dos Namorados: lojistas esperam alta de 5% nas vendas na comemoração da data - Imagem: Unsplash
Dia dos Namorados: lojistas esperam alta de 5% nas vendas na comemoração da data - Imagem: Unsplash

Nathalia Jesus Publicado em 12/06/2023, às 09h15


Os lojistas da região de Santos e Vale do Ribeira podem esperar um crescimento de faturamento no Dia dos Namorados em comparação com o mesmo período do ano passado. A estimativa é de que as vendas aumentem até 5% na comemoração.

Apesar de não ser uma data tão significativa como Dia das Mães e Natal, o Dia dos Namorados pode ser um bom termômetro para entender as intenções dos consumidores em meio às mudanças dessas duas datas.

“Todo mundo gosta de celebrar o amor, então é muito difícil que os namorados e namoradas não busquem, pelo menos, uma lembrancinha”, afirmou o presidente do Sindicato do Comércio Varejista da Baixada Santista e Vale do Ribeira (Sincomércio-BSVR), Omar Abdul Assaf ao Diário do Litoral.

O presidente também comentou que alguns fatores podem contribuir com o momento mais aquecido do varejo, como as parcelas do 13° salário, que já começaram a ser liberadas.

Uma pesquisa realizada pelo Sincomércio-BSVR mostrou que 39% dos consumidores planejam desembolsar até R$ 100 para presentear os parceiros na data mais romântica do ano.

Para as compras, 47% pretendem quitar o presente utilizando o cartão de crédito, 34% escolheram o cartão de débito como melhor opção e 19% preferem usar o dinheiro físico como forma de pagamento.

A pesquisa indicou que os moradores da região buscam boas lojas para conseguirem comprar os seus presentes e tornar o momentos mais especial. Segundo o levantamento, o principal critério levado em consideração na hora de escolher o local é o atendimento.

“O bom atendimento dos vendedores, dos gestores, de toda a equipe, é essencial para fechar o negócio. Tanto que vemos que esse critério é citado mais do que liquidações e descontos, que foi mencionado por 74% dos entrevistados”, confirmou o Assaf.
Compartilhe