Porto de Santos

Fortes ventos e ondas de três metros interrompem operações no Porto de Santos

Desde quarta-feira (9), o Porto de Santos opera na condição de impraticabilidade

Foi necessário fechar as operações no Porto por conta das ondas e fortes ventos - Imagem: reprodução redes sociais
Foi necessário fechar as operações no Porto por conta das ondas e fortes ventos - Imagem: reprodução redes sociais

Karina Faleiros Publicado em 10/08/2023, às 12h20


Nesta quarta-feira (9), os fortes ventos e ondas acima de três metros, causados por uma frente fria provocaram a interrupção das operações no Porto de Santos.

Segundo informações do g1, o cais santista é considerado o maior complexo portuário do país e do continente sulamericano.

A Autoridade Portuária de Santos (APS), declara que a nagevação do cais santista está operando na condição de impraticabilidade, desde às 6h50 desta quarta-feira. De acordo com a SPA, estão previstas rajadas de ventos de 28 nós, equivalentes a 52km/h.

Segundo a Capitania dos Portos de São Paulo, a partir das 10h30, em virtude da melhora das condições meteorológicas, com ondas de 2.6m, vento 20 nós, o Porto de Santos passou a operar na condição de praticagem indireta e com calado restrito à 12,5m, com um metro de maré.

A Defesa Civil de Santos informa que uma frente fria chegou à região na madrugada de terça-feira (8), trazendo chuvas e risco de rajadas de vento de até 80km/h.

Há previsão de elevação da maré, segundo dados do Núcleo de Pesquisas Hemodinâmicas da Universidade Santa Cecília (NPH-Unisanta). A previsão é que a maré ultrapasse 1,3 metros. Já as ondas, podem chegar a 3,2m na Baía de Santos.

As pancadas de chuva devem ser de intensidade moderada, ficando entre 10mm e 25mm. A temperatura não deve cair muito, com termômetros apontando mínima de 19°c.

O Plano Municipal de Contingência para Ressacas e Inundações de Santos, declara que o estado é de alerta. Se as previsões oceanográficas se confirmarem, existe a possibilidade de algum impacto em estruturas urbanas costeiras, mas não são esperados alagamento devido à altura da maré.

Compartilhe