Economia

Minha Casa, Minha Vida: Caixa começa a financiar imóveis até R$ 350 mil

Confira as famílias que possuem prioridade no programa

Medidas aumentam subsídio e reduzem juros para faixas 1 e 2 - Imagem: Creative Commons
Medidas aumentam subsídio e reduzem juros para faixas 1 e 2 - Imagem: Creative Commons

Karina Faleiros Publicado em 10/07/2023, às 09h39


Na última sexta-feira (7), a Caixa começou a financiar imóveis de até R$ 350 mil pelo Minha Casa, Minha Vida. Antes, o aumento do valor dos imóveis era de R$ 264 mil, no máximo. Confira as regras, taxas de juros e quem pode financiar.

Segundo informações do UOL, confira abaixo qual a taxa de juros:

- Para financiar um imóvel, as taxas vão de 4% ao ano a 8,16% ao ano, dependendo da renda da família e a região.

- O prazo máximo do financiamento é de 35 anos.

- Os cotistas do FGTS possuem direito a financiamento com taxas menores. O benefício vale para titulares de conta vinculada no FGTS com, no mínimo, três anos de trabalho sob o regime do FGTS.

- Faça simulações pelo site do banco: Os interessados também podem acessar o aplicativo Habitação Caixa (disponível para IOS e Android).

Valor máximo dos imóveis

- Para as famílias Faixas 1 e 2, o limite do valor do imóvel passa a variar entre R$ 190 mil e R$ 264 mil. O valor vai depender da localidade do imóvel.

- Os beneficiários Faixa 3, poderão comprar imóveis com valor de venda ou investimento máximo de R$ 350 mil.

- Os beneficiários podem ser contemplados com unidades construídas com recursos da União ou financiadas. O governo Lula tem como meta entregar para a população de baixa renda, dois milhões de novas unidades habitacionais contratadas até o final de 2026.

Propostas de empresas para Caixa

- As empresas que querem construir imóveis do Minha Casa, Minha Vida, já conseguem enviar suas propostas. A Caixa começou a abrir nesta semana o espaço para recebimento de propostas do setor de construção civil e entes públicos.

- Entidades organizadoras podem construir imóveis pelo Minha Casa, Minha Vida. As entidades podem ser formadas por cooperativas ou associações, por exemplo, e devem existir há pelo menos três aos, atuando na área de habitação.

- A caixa vai receber e avaliar a documentação enviada pelas empresas. Em seguida, fará uma vistoria do terreno. Se tudo for aprovado, o projeto será enviado ao Ministério das Cidades para a publicação de portaria de enquadramento.

- O banco trabalha para zerar estoque de obras paradas. A Caixa tem como objetivo retomar as obras de 15.000 unidades habitacionais da Faixa 1 do programa até o fim do ano, chegando próximo de zerar o estoque sob responsabilidade do banco.

Quem tem direito e quais as faixas de renda?

- Famílias com renda mensal de até R$ 8.000 em áreas urbanas.

Em áreas rurais, as famílias podem ter renda anual de até R$ 96 mil. Confira:

Áreas Urbanas

- Faixa 1: renda mensal de até R$ 2.640

- Faixa 2: renda mensal de R$ 2.640,01 a R$ 4.400

- Faixa 3: renda mensal de R$ 4.400,01 a R$ 8.000

Áreas rurais

- Faixa 1: renda anual de até R$ 31.680

- Faixa 2: renda anual de R$ 31.608,01 a R$ 52.800

- Faixa 3: renda anual de R$ 52.800,01 a R$ 96.000

O valor das faixas corresponde a renda que a família recebe sem contar benefícios sociais. O governo diz que as faixas não consideram valores recebidos via auxílio-doença, de auxílio-acidente, de seguro-desemprego, de BPC e do Bolsa Família.

Limite do subsídio?

- O subsídio é o valor do financiamento pago pelo governo federal. A família paga o restante do valor do imóvel.

- O governo pode arcar com mais de 90% do valor do imóvel. Esse tipo de subsídio, com parcelas bem baixas atende apenas às famílias da faixa 1 de renda. O valor máximo é de R$ 170 mil, para áreas urbanas e R$ 75 mil para áreas rurais.

- Outro tipo está ligado ao financiamento pelo FGTS. As famílias das faixas 1 e 2 têm direito a um subsídio de até R$ 55 mil no valor da entrada do imóvel. Anteriormente, o valor era de R$ 47,5 mil.

- As famílias da faixa 3, não possuem direito ao subsídio na entrada do valor do imóvel. Elas têm direito às taxas de juros mais baixas oferecidas pelo programa.

Faixa 1: Como famílias podem se inscrever para as unidades subsidiadas?

- É necessário fazer um cadastro na prefeitura de sua cidade. A prefeitura fará a inscrição no Cadastro Único e após o cadastro, será feita a seleção de imóveis de acordo com as regras definidas pelo Ministério das Cidades.

- O Governo Lula tem como meta entregar para a população de baixa renda, dois milhões de novas unidades habitacionais contratadas até o final de 2026.

Faixas 2 e 3

- As famílias devem procurar as incorporadoras com imóveis do Minha Casa, Minha Vida. É possível fazer uma simulação do financiamento, enviar para a instituição financeira e aguardar a aprovação do crédito. Se tudo der certo, o contrato será assinado.

Prioridade no programa

- As famílias que têm prioridade no programa, são aquelas que:

- Estão em situação de rua

- Tenham a mulher como responsável

- Tenham pessoas com deficiência, idosos, crianças e adolescentes

- Estão em situação de risco e vulnerabilidade

- Estão em situação de emergência ou calamidade

- Em deslocamento involuntário causado por obras públicas federais. Neste caso, é preciso preencher outros critérios e prioridades que podem ser definidos pelos estados, Distrito Federal, municípios e entidades.

Compartilhe