Afogamento grau 6

Guarujá: Surfista morre após entrar no mar, na Praia do Tombo

Morador de Jundiaí, Marcelo Coelho Escobar Bueno, de 62 anos, foi retirado do mar por dois surfistas

O caso ocorreu na Praia do Tombo - Imagem: reprodução redes sociais
O caso ocorreu na Praia do Tombo - Imagem: reprodução redes sociais

Karina Faleiros Publicado em 26/07/2023, às 09h39


Neste último domingo (23), um surfista de 62 anos foi encontrado morto na praia do Tombo, em Guarujá. O corpo da vítima, Marcelo Coelho Escobar Bueno, foi achado por dois surfistas e, segundo o Grupamento do Corpo de Bombeiros (GBMAR), ele apresentava grau 6 de afogamento.

Segundo informações do g1, de acordo com o boletim de ocorrência, Marcelo era de Jundiaí, e estava passando o final de semana no Guarujá. Ele estava acompanhado da namorada e do enteado dele, e segundo relato de familiares, a companheira tinha saído para passear com o filho de barco, por volta das 14h de domingo (23), enquanto Marcelo estava na água.

Por volta de 17h30, a namorada e o filho tentaram contato com o surfista, que não respondeu as mensagens e ligações, e ao anoitecer, o filho da namorada do homem retornou à praia do Tombo para tentar localizá-lo.

Às 19h, o jovem avistou um veículo da funerária próximo a orla da praia e algumas pessoas que estavam no local, disseram que era uma ocorrência de afogamento. O enteado se aproximou do veículo, e reconheceu que ali estava o seu padrasto.

De acordo com o boletim de ocorrência, Marcelo era surfista experiente, sempre nadou bem e a prancha utilizada por ele, estava ao lado do corpo. A família acredita que ele possa ter tido um mal súbito.

Segundo o Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar), no momento do afogamento, as equipes foram acionadas por banhistas. Os guarda-vidas foram até o local e verificaram que o homem havia sido retirado do mar por dois surfistas, e uma equipe do SAMU constatou o óbito no local.

Os bombeiros explicam que o afogamento grau 6 trata-se da Parada Cardiorrespiratória (PCR), representada pela apnéia e pela ausência de batimentos cardíacos. A Polícia Civil acionou o Instituto de Criminalística (IC) e aguarda laudo pericial. O caso foi registrado na Delegacia Sede de Guarujá, como morte suspeita.

Compartilhe