Coluna

O nervosismo da estreia

Imagem: reprodução I Freepik
Imagem: reprodução I Freepik

Reinaldo Polito Publicado em 25/06/2023, às 13h36


A minha emoção de escrever em um dos principais meios de comunicação da Baixada Santista é indescritível.

Além das centenas de alunos que tive desta região ao longo dos meus 48 anos como professor de oratória, também passaram pelas minhas aulas três ex-prefeitos de Santos: Beto Mansur, João Paulo Tavares Papa e Paulo Alexandre Barbosa. Todos eleitos para mais de um mandato.

Significa que tenho participação direta em 24 anos de administração da cidade. Todos eles, sem exceção, ficaram tão satisfeitos com o resultado do curso que encaminharam para fazer treinamento comigo vários de seus parentes, como filhos e irmãos.

Além desse fato marcante, o meu irmão, Geraldo, se formou na faculdade de medicina de Santos. O curso foi tão bom que entre os cento e tantos candidatos para as cinco vagas à residência do Hospital Brigadeiro, em São Paulo, ele foi o 3º colocado.

Estreia, estreia! Como é difícil e emocionante estrear. Conheço bem esse desconforto. Já debutei em inúmeras atividades, das mais simples às mais complexas. Lembro-me como se fosse hoje do dia em que publiquei o meu primeiro livro, em 1986.

Logo depois do almoço, a secretária do diretor comercial me ligou dizendo que à tardezinha a obra chegaria pronta e acabada da gráfica. O meu coração ficou aos pulos. Ela me disse que no dia seguinte colocaria nos Correios. Perguntei se não se incomodaria que eu fosse até a editora buscar. Sorrindo, me respondeu para eu ficar à vontade.

Tive de esperar até às 18h. Olhei com ar de quem estava acostumado com aquela situação e fui para o estacionamento. Ali me deliciei. Olhei página por página. Várias vezes. Foi um dos momentos mais marcantes da minha vida.

Imaginei que seria apenas daquela vez. Que nada. Depois desse primeiro livro, escrevi mais 33. Não mudei. A cada nova obra, batia em mim a mesma emoção, como se fosse o primeiro.

Sigo o mesmo ritual. Olho com cuidado todas as páginas. Leio um trecho aqui, outro ali. Releio. Espero que essa sensação continue em mim até os últimos anos da minha existência. É demonstração para mim mesmo de que estou vibrando e entusiasmado com o que faço.

Como disse Clarice Lispector: ''Cada vez que vou escrever, é como se fosse a primeira vez. Cada livro meu é uma estreia penosa e feliz. Essa capacidade de me renovar toda à medida que o tempo passa é o que eu chamo de viver e escrever''. 

Com os textos que escrevo não é diferente. Todas as vezes em que estreio em um novo órgão de imprensa fico apreensivo. Será que vou pisar com o pé direito? Será que vou acertar o tom da mensagem? Será que vou ao encontro das expectativas dos editores e, principalmente, dos leitores? Depois desse primeiro momento, fico mais sossegado.

Este é o nosso primeiro contato. Estarei aqui para falar a respeito de diversos temas que movimentam a nossa vida. Como professor de oratória há tantas décadas, tendo formado mais de 71 mil alunos e publicado 34 livros sobre esse tema, naturalmente vou abordar os assuntos relacionados à comunicação.

Por ter sido presidente da Academia Paulista de Educação, não poderia deixar de analisar as matérias inerentes à essa área. Por ministrar aulas há 20 anos nos cursos de pós-graduação em Marketing Político na ECA-USP, e ter sido professor dos presidentes dos principais partidos políticos do país, as questões políticas estarão no radar.

Por ser presidente há 20 anos da ONG Via de Acesso, especializada na capacitação e inclusão de jovens no mercado de trabalho, vou comentar sobre carreira profissional.

Bem, assunto é o que não vai faltar. Estou animado com essa nova empreitada. Espero que você, leitor, goste, comente e participe dos meus textos. Tenho certeza de que nos daremos muito bem. Quem me conhece sabe que procuro ser sempre imparcial em minhas análises. Jamais deixo de elogiar ou criticar o que julgo correto.

Serei sincero com as minhas opiniões e tentarei ser autêntico nos meus comentários. Não vou poupar esforços para pesquisar todos os lados de uma questão.

Você terá assim, as melhores condições de avaliar as mais diferentes abordagens e poder chegar às suas próprias conclusões. O importante é que fique o tempo todo muito bem informado. Boa sorte para todos nós.

Compartilhe