Copa América

Copa América: CBF quer Ancelotti e Diniz juntos com a seleção

O convite para a permanência de Ancelotti para 2026 foi feito e sinalizado de forma positiva por Diniz

A última Copa América foi em 2019, realizadano Estádio do Maracanã no Rio de Janeiro, Brasil - Imagem: Creative Commons
A última Copa América foi em 2019, realizadano Estádio do Maracanã no Rio de Janeiro, Brasil - Imagem: Creative Commons

Karina Faleiros Publicado em 06/07/2023, às 10h28


Em 2024, a Copa América será disputada nos EUA, de 20 de junho a 14 de julho de 2024.

A CBF quer contar simultaneamente com Carlo Ancelotti e Fernando Diniz na seleção brasileira para a Copa América, e assinou com Diniz até 5 de julho do ano que vem. Logo, esse período já envolve o início da competição, por mais que o treinador tenha dito que não está nada definido até o momento.

Segundo informações do UOL, a CBF tem confiança de que Ancelotti virá para treinar o Brasil já na Copa América, embora o término do contrato com o Real Mdrid seja 30 de junho de 2024.

O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, cita que haverá um momento em que os dois treinadores estarão juntos.

“Ele vai estar, pode ter certeza. A gente já disse o período que ele deve estar aqui (a partir da Copa América). Diniz tem contrato com a CBF até 5 de julho de 2024. Todos vão estar no mesmo momento”, concluiu Ednaldo, depois da coletiva de apresentação de Diniz, na CBF.

Diniz não cravou a presença na Copa América durante a entrevista, em reposta, Ednaldo ponderou que o cenário ainda é condicional. Entretanto, já havia sido conversado anteriormente na conversa privada que Ednaldo esteve com o técnico durante a negociação para fechar o acordo atual.

“Essa parte aí é o Diniz que vai decidir. Ele deixou bem claro. Ele falou que dá um passo de cada vez. Se ele falou, esse aí já é um segundo passo [estar na Copa América]. A gente tem que respeitar”, completou.

O Fluminense pode ser afetado pela presença de Diniz na Copa América, dependendo do calendário de 2024. O acordo com o tricolor só termina em dezembro do ano que vem.

“Em princípio, o contrato é de um ano e vou procurar fazer o melhor possível. Não decidimos se inclui a Copa América. Sei o planejamento da CBF, mas não vou falar o que vai ocorrer depois de mim com o Ancelotti ou não, vocês terão que apurar de outra forma. Meu rendimento é preparar bem o time para termos o melhor rendimento daqui pra frente.” Diz Fernando Diniz, técnico da seleção.

Compartilhe