Crime

SATANISMO? Relembre a história do casal que matou jovem grávida no litoral de SP

Atyla Arruda Barbosa tinha apenas 20 anos quando foi brutalmente assassinada

SATANISMO? Relembre a história do casal que matou jovem grávida no litoral de SP - Imagem: reprodução Instagram
SATANISMO? Relembre a história do casal que matou jovem grávida no litoral de SP - Imagem: reprodução Instagram

Manoela Cardozo Publicado em 01/08/2023, às 09h11 - Atualizado às 10h36


Em 2018, um crime brutal chamou a atenção não só do litoral de São Paulo, mas do país inteiro. Atyla Arruda Barbosa, de 20 anos, foi assassinada por Sergio Ricardo Mota e Simone Melo Koszegi, e os desdobramentos do caso tornaram a história ainda mais macabra.

Segundo informações do Alagoas Web, Atyla foi atraída para viver com Simone e Sérgio em Itanhaém sob a promessa de conseguir um emprego em uma transportadora de propriedade do casal na cidade.

Durante as investigações do crime, a Polícia Civil encontrou um caderno com anotações semelhantes ao depoimento fornecido pelo casal à Delegacia de Mongaguá, o que levantou suspeitas de falso testemunho.

O juiz responsável pelo caso, Paulo Alexandre Rodrigues Coutinho, apontou que a jovem foi iludida por falsas promessas de um futuro melhor, através de um pacto com Lúcifer.

“Já enredada a jovem na macabra teia, obtiverem acesso a todos os seus dados pessoais, influenciando e instigando-a à abertura de diversas contas bancárias, uma microempresa, bem como a celebrar seguros de vida, não obstante sua jovialidade, contratos esses, em parte, em que Simone, pessoa a quem acabara de conhecer, figurava na qualidade de beneficiária”, explicou o magistrado.

Além disso, os acusados também praticaram aborto sem o consentimento da vítima.

Diante de todas as evidências, o Tribunal do Júri decidiu condenar o casal a 34 anos e 8 meses de prisão por homicídio triplamente qualificado, considerando o motivo torpe, a utilização de recurso que impediu a defesa da vítima e o crime cometido para obter vantagem e facilitar a execução de outro crime.

Compartilhe